O Bitcoin é frequentemente acusado por reguladores, governos e banqueiros centrais como uma ferramenta para lavagem de dinheiro por organizações criminosas, geralmente sem apresentar qualquer evidência. Um novo relatório de Hong Kong, um importante centro financeiro internacional e nexo de comércio entre a China e o mundo inteiro, esclarece isso.

O governo de Hong Kong publicou na segunda-feira o seu Relatório de Avaliação de Risco 2018 sobre Lavagem de Dinheiro e Financiamento do Terrorismo (ML/TF). Abordando a questão do bitcoin, o relatório revela que o monitoramento da Força Policial de Hong Kong não indica nenhum sinal aparente de crime organizado ou de ML/TF quanto ao comércio de criptomoedas. Além disso, as investigações e a inteligência não sugerem que criptomoedas tenham sido usadas ou pretendam ser usadas em outras infrações subjacentes prevalentes (por exemplo, drogas, contrabando de bens tributáveis) ou financiamento do terrorismo. “O nível de ameaça é baixo.” O governo descobriu, no entanto, que criptomoedas foram usadas como um pretexto em esquemas Ponzi ou como pagamentos para criminosos virtuais, principalmente chantagistas usando ransomware.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here